Ievgueni Zaimátin – Nós

Por Caio Lima Algumas coisas são muito perigosas na literatura: Encaixotar livros em categorias: Sempre aparece aquele autor que faz um “romance de formação-gótico-oitocentista-vitoriano-anglicano-agnóstico” que ninguém consegue refutar, muito menos desclassificar e gera grande desconforto nas cadeiras intelectuais da literatura. É engraçado como no ISBN de alguns livros a classificação é completamente genérica por não... Continue lendo →

Literatura e história

Por Caio Lima O ato da leitura é um esforço integrado entre se colocar no lugar das personagens, se colocar no lugar do autor e entender aquele contexto específico da história. Nos dois primeiros artigos passei rapidinho justamente essa relação entre personagem-leitor e autor-leitor. Claro, não foi um baita estudo, mas espero ter deixado perceptível... Continue lendo →

Literatura e diversão

Por Caio Lima Você já parou pra pensar no quanto somos sistemáticos sobre como tratamos a cultura e, consequentemente, as nossas formas de lazer, na busca pela diversão e sensações extremamente prazerosas? Pois é. Pensa aí. É meio decepcionante quando percebemos que tudo é meio padronizado, robótico. Que mudamos pouco e essas mudanças são bem... Continue lendo →

Ivan Turguêniev – Pais e Filhos

Por Caio Lima Se um dia alguém vier lhe dizer “ainnnn, não leio os russos porque é muito difícil” ou “isso aí é livro pra nerds, não tenho capacidade” ou “queria muito ler, mas acho que sou burro(a) demais pra isso”. Por favor, só pare. Parou? Agora leia aqui. Lá no artigo de domingo eu... Continue lendo →

Vladimir Korolenko – O Músico Cego

Por Caio Lima A literatura russa é uma das três escolas literárias que mais admiro. Um monte de gente fala um monte de coisas sobre os russos: pais da psicologia, obras profundas, reis dos calhamaços, Editora 34 e essas coisas. Para mim, todo o movimento literário russo reside num pilar principal: resistência. Essa palavrinha (que... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑