Thiago Elniño – A rotina do pombo

Por Caio Lima Metaforicamente, o pombo é um ser tão comumente visto que se torna desimportante, logo imperceptível. Quando não um estorvo, motivo de poluição e desconforto. Normalmente fogem quando alguém invade seu espaço. É medo de ser presa, igual seu primo na semana passada. É a visão assustadora de que o seu lugar é... Continue lendo →

BK’ – Castelos e ruínas

Por Caio Lima Uma das principais, senão a principal, funções da arte é emocionar. E emocionar não é fazer chorar, apenas. Acho que o Guardião das Palavras, que vive no Vale das Palavras, deve chorar toda vez que vê um vocábulo tão bonito ser reduzido a algo tão superficial. E o pior, os considerados literatos,... Continue lendo →

Raio-X lírico: Marechal

Por Caio Lima Quanto mais se personaliza uma função, mais complexo se torna enxergar suas influências e em como elas atuam dentro do processo criativo. Uma tentativa de análise lírica sobre o Marechal é complicada, são poucas letras e tentar desenvolver em cima do que está escrito é tentar desvendar a pessoa, o que torna... Continue lendo →

Review lírico: Djonga – Heresia

Por Caio Lima A concepção de um projeto é um mundo à parte. Tentar compreender o disco dentro do que está registrado pelo MC e do que eu sinto, é mergulhar nesse mundo e permitir que as ideias e pensamentos fluam livremente. Por isso não acredito em resenhas que saem após uma semana do lançamento... Continue lendo →

Nobel é pra quem tem

Por Caio Lima Eu cresci ouvindo todo e qualquer tipo de música, mas rap é algo que transcende essa esfera do gostar. Vocês podem falar “aaaah mas o Caio disse que suas duas músicas preferidas são ‘hurricane’ e ‘black dog’, como pode ele gostar mais de rap?”. Rap é algo que vai além da experiência... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑