Fiódor Dostoiévski – Crime e castigo

Por Caio Lima Há uma espécie de código que rege os grandes clássicos da literatura mundial, o que os torna, até certo ponto, indecifráveis. Todos os leitores, literatos ou não, conseguirão se debruçar em teses razoavelmente sólidas sobre o famigerado livro para garantir um ponto válido de discussão. Porém, não existe um único estudo ou... Continuar Lendo →

Ievgueni Zaimátin – Nós

Por Caio Lima Algumas coisas são muito perigosas na literatura: Encaixotar livros em categorias: Sempre aparece aquele autor que faz um “romance de formação-gótico-oitocentista-vitoriano-anglicano-agnóstico” que ninguém consegue refutar, muito menos desclassificar e gera grande desconforto nas cadeiras intelectuais da literatura. É engraçado como no ISBN de alguns livros a classificação é completamente genérica por não... Continuar Lendo →

Leonid Tsípkin – Verão em Baden-Baden

Por Caio Lima A rotina, com seus milhares de tentáculos, nos afasta dos prazeres que a vida oferece. Não rola ir num show terça, porque na quarta você tem que levantar às 5:30 da manhã e encarar trânsito, van, ônibus, trem ou metrô cheios para chegar na escola, faculdade ou trabalho e viver um dia... Continuar Lendo →

Vladímir Sorókin – Um mês em Dachau

Por Caio Lima É bem provável que eu tenha sido muito injusto e tenha esquecido de bastante gente boa durante esse mês sobre a literatura russa. Tolstói, Leskov, Tchekhov e Górki são alguns dos caras que eu releguei. Em compensação, elegi a grandiosa Anna Akhmátova, Tynianov, Soljenítsin e Korolenko. Todos sintetizam muito bem a originalidade... Continuar Lendo →

Literatura e o indivíduo

Por Caio Lima Nessa programação de resenhas e artigos sobre a literatura russa durante todo o mês de setembro, chegamos ao último artigo. Depois de ter passado por tantos assuntos para tentar explicar minimamente no que a literatura russa pode nos ajudar a compreender em tempos nefastos (como o que estamos vivendo), finalizo falando da... Continuar Lendo →

Fiódor Dostoiévski – O idiota

Por Caio Lima Como vocês fazem para ler todos os livros que ganham? Sério. Eu tenho um certo desconforto em ganhar o livro e deixa-lo na estante mofando. Talvez seja porque eu sempre ache que o livro possui uma mensagem que a pessoa quis me passar além da boa literatura. E eu penso assim, porque... Continuar Lendo →

Vladimir Korolenko – Em má companhia

Por Caio Lima Antes de qualquer coisa, essa semana é meu aniversário. Sábado, para ser mais exato. Eu não ligo muito para datas comemorativas em geral. Nem aniversário, nem Natal, nem Páscoa, nem nada. Mas esse ano, com o Rede de Intrigas, me atrevi a me expor mais sem ganhar absolutamente nada para isso. E... Continuar Lendo →

Alexsandr Púchkin – A Dama de Espadas

Por Caio Lima A arte só faz sentido quando exerce alguma forma de comunicação entre o artista e o espectador. Por favor, não entendam isso como padronização do conceito de arte. O que quero dizer é que você pode ser o único espectador da arte que produz e ninguém tem nada a ver com isso,... Continuar Lendo →

Anna Akhmátova – Antologia Poética

Por Caio Lima Eu estava meio chateado com o mês russo. Não pelo fato de fazê-lo, de forma alguma. Mas eu pesquisei tanta coisa diferente para tentar fazer um apanhado da literatura russa como forma de resistência e, ainda assim, alguns pontos me pareciam meio soltos. Fica um vazio chato pra caramba. Eis que eu,... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑