Ivan Gontchárov – Oblómov

Por Caio Lima A perfeição é a mais sincera das imperfeições. É bom começar textos com clichês. Clichês trazem segurança, atuam como um mea culpa para a preguiça e, como se não bastasse, são uma maneira sincera de alfinetar e expor ao ridículo outras linhas de pensamento, como se assumir posições fosse tão somente uma... Continue lendo →

Liev Tolstói – Padre Sérgio

Por Caio Lima O que mais me agrada no Rede de Intrigas é como os textos vão se colocando numa ordem própria, tornando-se algo maior que as resenhas em si. Esses arcos compõem ciclos um tanto quanto semelhantes em essência, mas transparecem uma maturidade maior, talvez. Admito que ainda não sei balancear direito o tanto... Continue lendo →

Fiódor Dostoiévski – Crime e castigo

Por Caio Lima Há uma espécie de código que rege os grandes clássicos da literatura mundial, o que os torna, até certo ponto, indecifráveis. Todos os leitores, literatos ou não, conseguirão se debruçar em teses razoavelmente sólidas sobre o famigerado livro para garantir um ponto válido de discussão. Porém, não existe um único estudo ou... Continue lendo →

Ievgueni Zaimátin – Nós

Por Caio Lima Algumas coisas são muito perigosas na literatura: Encaixotar livros em categorias: Sempre aparece aquele autor que faz um “romance de formação-gótico-oitocentista-vitoriano-anglicano-agnóstico” que ninguém consegue refutar, muito menos desclassificar e gera grande desconforto nas cadeiras intelectuais da literatura. É engraçado como no ISBN de alguns livros a classificação é completamente genérica por não... Continue lendo →

Leonid Tsípkin – Verão em Baden-Baden

Por Caio Lima A rotina, com seus milhares de tentáculos, nos afasta dos prazeres que a vida oferece. Não rola ir num show terça, porque na quarta você tem que levantar às 5:30 da manhã e encarar trânsito, van, ônibus, trem ou metrô cheios para chegar na escola, faculdade ou trabalho e viver um dia... Continue lendo →

Vladímir Sorókin – Um mês em Dachau

Por Caio Lima É bem provável que eu tenha sido muito injusto e tenha esquecido de bastante gente boa durante esse mês sobre a literatura russa. Tolstói, Leskov, Tchekhov e Górki são alguns dos caras que eu releguei. Em compensação, elegi a grandiosa Anna Akhmátova, Tynianov, Soljenítsin e Korolenko. Todos sintetizam muito bem a originalidade... Continue lendo →

Literatura e o indivíduo

Por Caio Lima Nessa programação de resenhas e artigos sobre a literatura russa durante todo o mês de setembro, chegamos ao último artigo. Depois de ter passado por tantos assuntos para tentar explicar minimamente no que a literatura russa pode nos ajudar a compreender em tempos nefastos (como o que estamos vivendo), finalizo falando da... Continue lendo →

Fiódor Dostoiévski – O idiota

Por Caio Lima Como vocês fazem para ler todos os livros que ganham? Sério. Eu tenho um certo desconforto em ganhar o livro e deixa-lo na estante mofando. Talvez seja porque eu sempre ache que o livro possui uma mensagem que a pessoa quis me passar além da boa literatura. E eu penso assim, porque... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑